Anúncios
Esportes

Sandro Goiano e William: o desrespeito confirmado

Semana passada resolvi que era o momento de parar de falar no Grêmio. Resolvi tentar ignorar o que vem ocorrendo nos últimos meses, controlar o ressentimento e ter esperanças novamente.  Dar uma chance para o otimismo, para a fé cega.

 Infelizmente, este sentimento utópico durou muito pouco.

 Hoje à tarde, navegando pela internet, leio declarações de dois jogadores que saíram do Grêmio no final de 2007: William e Sandro Goiano. Analisemos então, separadamente,  as declarações de ambos:

 SANDRO GOIANO:

– Na verdade eu não entendi muito o que eles quiseram fazer. Até o último jogo contra o Corinthians, o Paulo Pelaipe afirmou que havia o interesse na renovação. Cheguei a receber proposta do São Paulo após a Libertadores, e o técnico Mano Menezes (agora no Corinthias) até disse que me liberaria por tudo que eu já havia feito no clube. Mas os dirigentes barraram e prometeram que renovariam o meu contrato por dois anos. Não honraram a palavra e também não me trataram como deveriam pela história que eu construi no Grêmio. Tive que procurar outro clube – desabafa Sandro.

Lembro-me do meio de 2007, quando surgiu o boato acerca da possível ida de Sandro para o São Paulo. Pelaipe, na época, negou que houvesse interesse. Hoje, me surpreendo ao tomar conhecimento de que o interesse era real e que só não se concretizou porque o Grêmio interveio, prometendo renovar o contrato do jagador por dois anos. Imagino que, à época, Sandro tenha ficado tranqüilo. Afinal, tinha confiança na garantia que lhe havia sido dada, de sua permanência num clube grande que aprendeu a amar. Baseado nisso, Sandro permaneceu, e não se transferiu para o clube que viria a ser o Campeão Brasileiro.

Ao final do ano a direção não cumpriu a promessa feita a Sandro, atitude que, infelizmente, já não nos causa mais surpresa. Dispensado, o jogador que havia despertado no meio do ano o interesse do São Paulo acabou indo para o Sport Recife.

WILLIAM:

-Eu me surpreendi com o anúncio da transferência. Foi uma coisa tratada diretamente entre os dois clubes e nenhuma das duas partes tinha me procurado: nem o Grêmio que estava me negociando, nem o Corinthians que tinha o interesse no meu futebol. E, durante esse período de tentativas entre as equipes, eu nunca me manifestei e fiquei só acompanhando pela imprensa. O certo é que quando a negociação entre Grêmio e Corinthians foi finalizada, acabei ficando numa situação delicada.

O caso de William foi uma surpresa. Ninguém esperava. A manifestação do jogador reflete isso. William, assim como toda a torcida do Grêmio, esperava permanecer. Suas declarações davam conta disso. Sempre se manifestava como certo de sua permanência, inclusive quando da saída de Mano Menezes, quando afirmou, antes do jogo contra o Corinthians:

“Agora, a gente tem mais um motivo para vencer no domingo para coroar essa trajetória do Mano durante esses dois anos e sete meses. A gente vai entrar com tudo para cima do Corinthians”.

Poucos dias depois começava a especulação da ida de William para este mesmo Corinthians. Os gremistas, que já haviam perdido praticamente todos os jogadores que fizeram parte do grupo de 2007, davam agora adeus ao último referencial de um ano que começou promissor, mas que acabou como uma ducha de água fria. O desmanche estava completo. Um tipo de desmanche que só ocorre quando o ano foi um retundante fracasso ou quando o time, pequeno, se livra de jogadores valorizados o mais rápido possível após um ocasional momento de glória.

William foi embora. E o mais triste: foi embora se sentindo desrespeitado, magoado por ter sido tratado como mercadoria velha , como algo que deve ser mandado embora o mais rápido possível, antes que perca o valor. Tudo isso após ter se dedicado ao máximo pelo Tricolor. Lembro de declaração  de William em 2006 quando, após um ano excelente, foi sondado por diversos clubes, em que ele enfatizava seu respeito pelo Grêmio e que por esse motivo, permaneceria. Uma pena que, passado um ano, constatou que o respeito que tinha pelo clube não foi recíproco.

A questão que fica é: Qual o objetivo da direção do clube?

 Promessas e especulações surgem e são desmentidas a todo momento, e isso já ocorre a algum tempo. Ou alguém esqueceu do “zagueiro de seleção”? Do “lateral esquerdo de seleção”? Do “atacante bala”? Do episódio Fabiano Eller? Promessas que acabaram virando piada ou motivo de chacota. Aliás, piadas que acabam sendo feitas pela prórpria torcida, que, talvez em um mecanismo de defesa, prefira aderir à máxima “rir para não chorar”, depois de tantas “pegadinhas” e alarmes falsos. Triste ver um clube da grandeza do Grêmio tendo seu nome vinculado em constantes piadas, “pegadinhas” e deboches. Uma bola de neve, que vem, infelizmente, deixando a torcida amargurada, ressentida e descrente.

A fé que nos moveu durante 2005 até metade de 2007 foi abalada. A torcida, acreditando que podia ajudar e contribuir para a permanência dos ídolos, se associou em massa, atendendo aos apelos da direção. Ressalte-se, ainda, que esta associação não implicava os mesmos direitos concedidos aos sócios patrimoniais (modalidade já extinta). Os novos sócios, mesmo sem poderem usufruir dos mesmos direitos dos sócios antigos, tinham um único objetivo: fazer o Grêmio crescer. E tiveram como presente um time desmontado após a final da Libertadores e as vindas de Marcel, Marreta e Hidalgo e, mais recentemente, o aumento das mensalidades. Como se não bastasse, ainda deram adeus aos últimos remanescentes do time que nos orgulhou na Libertadores.

O ano de 2008 começa com muitas promessas e poucas definições. Surgem nomes desconhecidos, e a única defesa para a falta de reais reforços sempre recai sobre glórias passadas. É triste. Triste ver que histórias de superação acabam servindo de desculpa para mediocridade. Triste perceber que a Batalha dos Aflitos vem sendo utilizada como argumento para falta de postura e de atitude. E a nossa imortalidade, tão equivocadamente  evocada pelos dirigentes, acaba sendo testada com uma postura baseada no desrespeito e em falsas promessas.  Desrespeito este que agora percebemos que não era apenas direcionado para a torcida. Afinal, se os jogadores de um time que claramente se superou e chegou até final da Libertadores são tratados dessa forma, como meras mercadorias descartáveis, então o recado aos novos jogadores está dado: não deêm o sangue, não se esforcem, não suem a camisa. Nada disso é valorizado no final do ano.

Anúncios

Discussão

7 comentários sobre “Sandro Goiano e William: o desrespeito confirmado

  1. Esse foi o melhor post que li sobre o Grêmio esse ano. Não apenas sensacional por ser muito bem escrito mas por resumir exatamente como se sente a nação tricolor: aflita, pesarosa, ludibriada. Tem alguns fanáticos que confundem isso com corneta, mas se estão enganando até os atletas, porque não enganar a torcida?

    Essa direção atual assumiu um time quebrado, falido e humilhado. Fez o que pode deu sorte: subimos e continuamos subindo de forma meteórica. Só que isso não dá habes corpus para eles fazerem o que quiser.

    Se venderam o Willian em troca de quitar TODA a dívida com o time da marginal sem número, tudo bem, mas sejam transparentes! Se dispensaram o Gavillan por problemas médicos, que sejam transparentes.

    Está faltando transparência e boa vontade nessa direção.

    Abs!

    Curtir

    Publicado por tarsischwald | 11 de janeiro de 2008, 19:17
  2. Concordo com o vizinho de cima, melhor post que li sobre o Grêmio este ano. O objetivo, inimaginável, dessa desrespeitosa direção, nos deixa realmente aflita. Triste.

    Curtir

    Publicado por Tiago | 11 de janeiro de 2008, 22:25
  3. Excelente texto.

    Curtir

    Publicado por Thiago | 29 de janeiro de 2008, 20:23
  4. Que vergonha em direção!!
    Sandro excelente jogador, no Sport…! Fora Pelaipe!
    -.-

    Curtir

    Publicado por Lidiane | 2 de fevereiro de 2008, 20:07
  5. sem duvida mais acredito nessa diressão e as coisas estão se ajeitando as poucos acredito que temos um baita treinador tambem não comsigo entender por que mandaram o sandro goiano embora o wiliam tudo bem quitamos uma divida mais vamos la vamos lotar o olimpico e empurar o gremio de novo em 2008. o qeu mais gostei em 2007 é que no olimpico osadversrios tremera e socamos quase eles tudo tomara q se repita 2008 um abrasos a todos .gremio amor eterno

    Curtir

    Publicado por mauricio hahn | 13 de fevereiro de 2008, 19:33
  6. OTIMO…MTO OTIMO MESMO O TEXTO…MAS PERGUNTO, ISSO CHEGA NA DIREÇÃO? SE NÃO, TEMOS QUE DAR UM JEITO, SE SIM, OTIMO, TEMOS QUE CONTINUAR A MANIFESTAR DE FORMA CORRETA O QUE SE PASSA NA TORCIDA DO GREMIO…

    UM GDE ABRAÇO A TODOS

    Curtir

    Publicado por marco | 28 de abril de 2008, 05:25

Trackbacks/Pingbacks

  1. Pingback: Direção do Grêmio - Quer ir para a Série B? « PERSPECTIVA - 27 de abril de 2008

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Anúncios

Apoio

INSTAGRAM DA ARTISTA YASSMINE PITOL

O nome é Yassmine, o sobrenome é... 😊😊 Falando um pouco sobre (contra o) marketing infantil durante o #IACL , evento incrível que ocorreu na Faculdade de Direito da #UFRGS. #workinprogress #watercolor 😊 🌞🌞 #skyline

Mais recentes

Estatísticas do blog

  • 2,279,071 visitas
%d blogueiros gostam disto: