Anúncios
Música

Sérgio Napp, um guri de cidade com alma gaudéria

Eram os anos  70/80.  Eu, como  grande parte dos jovens  ” da cidade”, desprezava as  músicas nativas por vinculá-las  aos mais velhos. Nunca esqueçamos  que “não confie em ninguém com mais de 30 anos” era então um bordão muito popular.

A Califórnia da Canção Nativa foi responsável pela popularização da boa música gaúcha junto a um público urbano  que não cultuava as tradições, bem pelo contrário. Lá foram lançadas músicas que se tornaram clássicos como “Canto alegretense”, “Vozes rurais”, “Romance na Tafona” e “Não podemo se entrega pros home”, dentre tantas outras.

Desgarrados, uma das mais lindas letras desse cancioneiro gaúcho renovado foi produzida pelo auto-intitulado ” guri de cidade,um gaúcho a pé, nascido no Interior, crescido nas capitais”  que, aos 75 anos, ontem (28/05) privou o Rio Grande de sua presença física: Sérgio Napp.

Engenheiro e professor universitário nascido em Giruá, Noroeste do Rio Grande do Sul,foi responsável por algumas das mais belas letras de canções gaúchas, como Canto Livre, Mala de Garupa, Campesina dentre tantas. Fora do cancioneiro gaúcho, foi responsável pelas letras das canções  de Tempo de partir, interpretada por Clara Nunes, Meus olhos , que integrou o quarto álbum lançado por Elis Regina, em 1963 ,Pra que mentir- Tito Madi e Vou ficar com você cantado por Marisa Barroso. 

Participou da criação do Grupo Canto Livre.

Na  Califórnia da Canção de 1980  sua composição ” Roda, Roda”  em parceria com Cesar Dorfman, foi escolhida e não pode participar por falta de intérprete. Não convidou Vitor Ramil para interpretá-la, mesmo tendo a chance, por falta de coragem, considerando-se pequeno.Pela primeira vez, uma das escolhidas deixou de ser apresentada por falta de intérprete.

Certa vez, Sérgio Napp declarou:

– “em noites de insônia, vez que outra imagino ouvir os locutores:  A próxima concorrente vem de Porto Alegre. Música de Cesar Dorfman. Letra de Sergio Napp. Roda, Roda, uma toada. E para apresentá-la, Vitor Ramil!”

 Foi também um escritor prolífico: Jogo de Circunstâncias e Pássaro dos Dias de Verão,  Memórias das Águas ,e Caixa de Guardados , A Gangue dos Livros,Menino com pássaro ao ombro e Cafundó das estrelas, integram sua produção literária.

Além disso, foi integrante do grupo que iniciou a transformação do Hotel Majestic no que viria a ser a  Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), da qual foi diretor em 1987 , 1997 e 2003.

Participou seja como militante, seja como simples observador de eventos que marcaram o final do século XX:a  Revolução dos Cravos, o Solidariedade, a Revolução de Maio, a Primavera em Praga, a morte do General Franco, a deposição do Allende e depois a do Pinochet, o Comício dos Cem Mil, a marcha dos cara-pintadas, dentre outros. Era, segundo ele próprio, um dos que acreditava poder “melhorar o mundo, torná-lo mais inteiro, mais humano, contribuir para que as pessoas se tornassem mais íntegras”. Essa crença fez parte de muitos daquela geração. Por isso, associo o nome de Sérgio Napp ao de jovens idealistas, engajados, integrando um cenário político e cultural de reação a opressão.

Nos últimos anos isolou-se, desencantado com os rumos do estado que tanto amava:“Prefiro me deixar nesta terra inexistente, Passa Passa Quatro, ao lado dos meus livros, minhas escritas e meu radinho de pilha. E um apara-barro na porta de entrada.Aí a vida aflora, e eu posso recordar os amores que ficaram pelos caminhos.”

Vídeo com entrevista feita pela Tv Câmara de Porto Alegre.

ATUALIZAÇÃO DA POSTAGEM: 31/05/2015

Pajada de autoria de Don Arabi Rodrigues, poeta gaúcho.

“À Paz do Senhor” –

Senhor dos mundos, meu Deus:
contrito de joelho em terra,
ante a luz que descerras;
a prece, por dois meus,
que “Em Verdade”, são teus,
de corpo, alma e família.
que nas alturas rebrilham:
no céu do sul do meu pago,
é o Sergio Napp, esse mago,
ou então o Arthur Bonilla.

Vêm do Napp, Os Desgarrados,
andando no Cais do Porto;
celebrando novo encontro
co’as lagrimas dos convidados.
Seus versos serão lembrados,
aos acordes do Bonilla,
que também furou a fila,
sem dizer nada a ninguém,
que os Anjos digam Amém:
pra honra e glória do Senhor,
recebam o nosso amor,
ai na Estância do além!!!
Nh. casa do rio, maio, 30/2015

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Anúncios

Apoio

INSTAGRAM DA ARTISTA YASSMINE PITOL

😊😊 Essa aquarela foi finalizada neste final de semana, mas sempre acho interessante lembrar dos momentos em que a tinta estava secando :) #watercolor #aquarela #gaucho #arts #art 💙💙💙 #sunset #nofilter #TBT 💙 Finalizado #arts #art # #watercolor

Mais recentes

Estatísticas do blog

  • 2,268,803 visitas
%d blogueiros gostam disto: