Anúncios
Esportes

Os dez anos da Batalha dos Aflitos e o porquê de comemorá-la

Inacreditável

Há exatos dez anos atrás ocorria um dos episódios mais incríveis da história do futebol mundial: a Batalha dos Aflitos, a partida inacreditável que virou filme e sinônimo de luta e irresignação em que o Grêmio, com 4 jogadores expulsos e dois pênaltis contra, venceu o Náutico por 1 x 0 e assegurou sua volta à primeira divisão. A partida assombrou a crônica esportiva nacional e mundial. Durante muito tempo o jogo foi motivo de orgulho e afirmação para os torcedores do Grêmio. No entanto, existem hoje restrições quanto à comemoração da data – parcela significativa dos torcedores entende que não há motivos para festejar um jogo da Série B. Mas terá sido somente isso?

foto73

É preciso relembrar todo o contexto que envolveu o ano de 2005 no Grêmio. Recém rebaixado à segunda divisão, o clube vivia, possivelmente, a maior crise de sua história: em dezembro de 2004 o Grêmio tinha pouco mais de 10 atletas profissionais aptos a começar a nova temporada, menos de 3 mil sócios em seu Quadro Social e nenhum dinheiro no caixa – até mesmo o Estádio Olímpico foi alvo de penhora por dívidas com ex-atletas. Administrativamente, o clube estava surrado: na saída de Flávio Obino da presidência, o cargo ficou vago – e ninguém queria assumir. O ex-presidente Fábio Koff, perguntado sobre a possibilidade de assumir o clube naquele momento, afirmou: – “Não, e não recomendaria o Grêmio para nenhum amigo meu”. Na virada do ano, Paulo Odone assumiu a presidência.

anderson

O ano de 2005 não começou fácil para o Grêmio. Diferentemente do que ocorreu posteriormente quando outros grandes clubes caíram para segunda divisão, o Grêmio não teve injeção financeira para montar uma equipe absolutamente superiora às demais participantes para “passear” no campeonato. Mais: o formato da Série B previa fase classificatória e dois quadrangulares eliminatórios, aonde apenas dois competidores subiriam para primeira divisão. A aposta em Hugo De León como treinador se mostrou falha, e o antigo ídolo foi demitido do cargo. Nenhum treinador aceitava comandar o Grêmio. Dentro de todo este contexto veio Mano Menezes, uma aposta vinda do interior do Estado na expectativa de reeditar antigos casos de sucessos de treinadores no clube. Mano organizou o elenco e fez do Grêmio uma equipe competitiva para a Série B – “De um limão, uma limonada”, frase que ficou marcada posteriormente de maneira pejorativa para os gremistas. A verdade é que o Grêmio de 2005 era um clube na Série B com uma equipe de Série B, jogando um campeonato entre iguais – e o campeonato valia a vida para o Grêmio.

Ficar fora da primeira divisão na época significava receber no primeiro ano 50% do valor das cotas de TV correspondentes à primeira divisão. Em caso de permanência, o clube ingressaria no rol de valores correspondentes à Série B, irrisórios para as pretensões de um grande clube. Em uma época em que Quadros Sociais não tinham a força de hoje – o trabalho de captar associados começou justamente em 2005, com Grêmio e Inter na vanguarda dos clubes brasileiros – a renda vinda da TV tinha peso ainda maior do que nos dias atuais. Não voltar à Série A no ano de 2006 representaria algo muito perigoso ao futuro do Grêmio. Como convencer o torcedor a, novamente, embarcar em uma segunda divisão com um time ainda pior ? Tudo isto estava em jogo naquele 26 de Novembro de 2005.

foto-gremio-campeao

Comemorar a Batalha dos Aflitos não se trata de prestigiar a conquista de um troféu da segunda divisão do Campeonato Brasileiro, e sim de reconhecer o esforço de um ano todo de desafios e dificuldade que foi resumido em uma única partida: o 2005 do Grêmio foi inteiramente representado naquela tarde de sábado. O simbolismo daquele jogo fez resgatar o orgulho gremista – a marcante frase “Jamais nos Matarão” tem inspiração ali  – e catapultou o Grêmio para sua reconstrução. Aquele retorno para a primeira divisão, da forma como ele foi, se tornou um marco histórico para o Grêmio. Depois daquilo veio o trabalho que zerou a dívida com ex-atletas no famoso Condomínio de Credores, a profissionalização do Quadro Social e a construção da Arena.

O que ficou daquele jogo foi a irresignação, a garra e a perseverança daqueles jogadores. A defesa de Galatto, o gol de Anderson e os 71 segundos que separaram o desespero e a dor da redenção no gol daquele menino de 17 anos resgataram e criaram torcedores incondicionais do Grêmio que seguram, até hoje, a barra de torcer para um clube que há anos não conquista um grande torneio. Comemorar e lembrar com orgulho da Batalha dos Aflitos e todo o seu simbolismo é reconhecer a luta daqueles que tiraram o Grêmio da lama em um dos anos mais difíceis de sua história. Nunca existiu um jogo como Grêmio 1 x 0 Náutico, que decidiu em seus mais de 120 minutos toda a história centenária do Grêmio.

patricio

tu7sg

 

Anúncios

Discussão

Um comentário sobre “Os dez anos da Batalha dos Aflitos e o porquê de comemorá-la

  1. È verdade aquele dia foi inesquecivel tinha 12 anos e estava sofa de minha casa olhando jogo dos aflitos e vii que jogador do nautico sofreu um penalti deu uma angustia e comecei a choraa porque se nautico vence gremio nao iria subi mais apos batida do penalti vii que galatto defendeu ai eu vii o ferplay porque meus olhos ficaram embaçado e deu um baita de um berro esboçando alegria da defesa de galatto que minha irma se assusto, e depois dei mais berro ainda apos o gol do anderson pro gremio e foi melhor presente que ganhei naquele ano porque dia seguinte era meu dia de aniversario. Parabens gremio e parabens pra mim tambem amanha . E vamo qui vamo tricolor rumo ao japao 2016 bebendo vinho no mundial eo caminho…. Forte abraço tamanho do rio grande.

    Curtir

    Publicado por eduardo | 26 de novembro de 2015, 21:59

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Anúncios

Apoio

INSTAGRAM DA ARTISTA YASSMINE PITOL

#watercolor #art #draw Brothers 💙 Greta é fã de "...E o vento levou" #gonewiththewind #cats #art 💙 Um processo (MUITO) demorado #oilpaint #art #arts #draw

Mais recentes

Estatísticas do blog

  • 2,313,315 visitas
%d blogueiros gostam disto: