Anúncios
Sem categoria

Entenda como funciona o ranking da WTA (e a sua diferença para o “Road to Singapore”)

, ALÉM

Leia também:

 A grande final do Australian Open 2016

Quem vai parar Novak Djokovic?

Novak Djokovic, campeão do Australian Open 2016

Tennis – Por que essa necessidade de envelhecer precocemente os atletas?

wta

Ranking da WTA em 01/02/2016 Fonte: wtatennis.com

Os aficcionados por tênis acompanham com voracidade os resultados conquistados por suas atletas favoritas,  atentos à evolução das mesmas no ranking da WTA. Poucos, contudo, compreendem como funciona o sistema de pontuação, tampouco a diferença entre o ranking da WTA e o ranking do “Road to Singapore”.

Inicialmente, para entender minimamente o funcionamento dos rankings, é preciso ter ciência de que os torneios realizados ao longo do ano são divididos em razão de sua importância. Por níveis. Vejamos de que maneira.

Por ordem de importância:

  1. Os quatro torneios do Grand Slam (Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open)
  2. O WTA Finals (WTA Championships), no final da temporada, incluindo as oito melhores colocadas no ranking do “Road to Singapore”, cuja atual vencedora é Agniewska Radwanska;
  3. Torneios Premier Mandatory Indian Wells, Miami, Madrid e Pequim;
  4. Torneios Premier 5 – Cincinnati, Dubai, Toronto, Roma e  Wuhan;
  5. WTA Elite Trophy – Disputado em Zhuhai, destinado às jogadoras que finalizem o ano entre a 9ª e a 19ª posição no Road to Singapore, mais um wild card.
  6. Torneios Premier 10 torneios: Antwerp, Birmingham, Brisbane, Charleston, Doha, Eastbourne, Moscou, New Haven, Stanford, Stuttgart, Sidney e Toquio. Este ano, foi adicionado à categoria Premier o torneio de St. Petersburg;
  7. Torneios Internacionais trinta e dois torneios: Acapulco, Auckland, Bad Gastein, Baku, Bastad, Bogotá, Bucharest, Florianópolis, Guangzhou, Hobart, Hong Kong, Istanbul, Katowice, Kuala Lumpur, Linz, Luxemburgo, Marrakech, Monterrey, Nottingham, Nürnberg, Osaka, Pattaya City, Prague, Québec City, Rio de Janeiro, ‘s-Hertogenbosch, Seul, Shenzhen, Strasbourg, Tashkent, Tianjin e Washington DC.

Ainda, é possível a obtenção de pontos na WTA através de torneios WTA 125K Series e de alguns torneios da Federação Internacional de Tênis (ITF), menores em importância.

A pontuação é distribuída fase a fase, dentro de cada torneio, da primeira rodada até a grande final. Quanto mais se avança, mais pontos são adquiridos.

Vejamos, abaixo, tabela que demonstra como funciona o acúmulo de pontos nos torneios mais relevantes (fonte: WTAtennis.com)

WTA RANK

Clique para ver maior

Os pontos acumulados por cada tenista são computados em relação às últimas 52 semanas (basicamente, em relação ao último ano), levando-se em consideração os resultados obtidos em, no máximo, 16 torneios (em se tratando de torneios de simples) e 11 deles, em se tratando de torneios de duplas.

Se uma jogadora disputar mais do que 16 torneios de simples, por exemplo, serão levados em consideração os pontos adquiridos nos torneios em que adquiriu maior pontuação.

Contudo, os resultados em torneios Grand Slam e em torneios Premier Mandatory  são incluídos, independentemente da participação da atleta. Se não há participação por exemplo, em Roland Garros, um dos 16 resultados a serem computados será zerado. Além disso, forçosamente os dois melhores resultados em torneios Premier 5 serão contabilizados para as jogadoras que estejam dentro do top 20. E, caso a atleta se classifique para o WTA Finals (cujo sistema de classificação será adiante abordado), este torneio também fará, obrigatoriamente, parte dos 16 torneios a serem considerados para a averiguação da posição da atleta no ranking da WTA.

Simplificando:

16 resultados são computados para definir a colocação da atleta. Chamemos de 16 “vagas”. Quatro serão forçosamente ocupadas pelos resultados em Grand Slam. Sobram 12 “vagas”. Quatro destas serão obrigatoriamente ocupadas por torneios Premiere Mandatory (Indian Wells, Miami, Madrid e Pequim). Sobram 8 “vagas”. Para as tenistas top 20, duas destas vagas destinadas aos resultados serão, forçosamente, ocupadas pelos seus dois melhores resultados em torneios Premiere 5 ( Cincinnati, Dubai, Toronto, Roma, Wuhan). Caso a atleta se classifique para o WTA Finals o seu desempenho será obrigatoriamente considerado. As demais “vagas” destinadas aos resultados podem ser selecionadas entre todos os que valem pontos. Ainda, cabe destacar que para uma tenista aparecer nos rankings WTA é necessário ganhar pontos em no mínimo três torneios.

No ano seguinte, os pontos adquiridos na temporada anterior devem ser defendidos. Ou seja, o resultado obtido em um Grand Slam disputado em 2016, por exemplo, substituirá o resultado obtido pela atleta no mesmo Grand Slam em 2015. Exemplificando: Serena Williams foi vencedora do Australian Open em 2015, ganhando 2000 pontos. No ano seguinte, ao disputar este mesmo Grand Slam, precisava “defender” estes 2000 pontos. De que forma? Vencendo o torneio. Como foi apenas finalista, perdendo a final, adquiriu 1300 pontos, os quais “substituem” os 2000 adquiridos no ano anterior, ou seja: perdeu 700 pontos em relação ao que havia conquistado no ano anterior.

A WTA também confere pontos para jogadoras de simples que competem nas Olimpíadas, os quais aparecerão apenas durante o respectivo ano.

Diferença para o “Road to Singapore”

road to singapore

Ranking “Road to Singapore” do dia 01/02/2016

O ranking da WTA não se confunde com o “Road to Singapure”: este é baseado nos 16 melhores resultados obtidos por cada atleta durante o ano, computados do primeiro ao último torneio do ano, e dos 11 melhores resultados obtidos por cada dupla. As 8 melhores atletas disputam o WTA Finals,  em Singapura, cuja vencedora ganhará 1.500 pontos no ranking da WTA.

No ranking do Road to Singapure, a jogadora não “defende” os pontos obtidos no ano anterior, os quais são irrelevantes para a colocação das atletas na busca pela vaga no WTA Finals. Peguemos o exemplo de Maria Sharapova. Finalista do Australian Open em 2015, naquela temporada adquiriu 1300 pontos em razão desta colocação. Defendia, portanto, 1300 pontos, para fins de colocação do ranking da WTA. Em 2016, caiu nas quartas de final, que lhe rende apenas 430 pontos. Seu saldo, para o ranking da WTA, foi negativo: PERDEU 870 pontos. Para o ROAD TO SINGAPURE, todavia, desimporta o resultado que Sharapova atingiu no ano anterior: computam-se, apenas e simplesmente, os 430 pontos adquiridos neste ano.

Caso lhe sobrevenha alguma dúvida em relação ao funcionamento dos rankings, escreva nos comentários.

Anúncios

Sobre Yassmine Uequed Pitol

Yassmine Uequed Pitol nasceu em Porto Alegre em 30 de maio de 1984. Graduada em Direito em 2011 pela Uniritter. Pós graduada em Direito do Consumidor pela Ufrgs (2014). Cursou Artes Visuais na Ufrgs.Atualmente cursa Pós Graduação em Direito Processual Civil na Uniritter e mestrado em Direito no Unilasalle. Yassmine gosta de jogar futebol e de correr. Pintora e desenhista, acompanha futebol, filmes, seriados, música e tênis. No Perspectiva Onlina, escreve sobre tudo isso e muito mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Anúncios

Apoio

INSTAGRAM DA ARTISTA YASSMINE PITOL

#watercolor #art #draw Brothers 💙 Greta é fã de "...E o vento levou" #gonewiththewind #cats #art 💙 Um processo (MUITO) demorado #oilpaint #art #arts #draw

Mais recentes

Estatísticas do blog

  • 2,312,683 visitas
%d blogueiros gostam disto: