Anúncios
Esportes

Baixo público dos Estaduais exige reflexão

Um dos principais argumentos de defesa aos campeonatos estaduais diz respeito a dar aos clubes do interior jogos importantes e interessantes em seus calendários de futebol, para que gerem recursos e se desenvolvam. É uma tese interessante. De fato, os clubes que não estão na elite do futebol brasileiro precisam disputar campeonatos e enfrentar equipes que gerem repercussão para que atraiam público e investimento para si. Mas será que o Campeonato Estadual tem cumprido este papel?

Tomemos como exemplo o Rio Grande do Sul. 14 clubes disputam um torneio de baixíssimo nível técnico que se arrasta por quatro meses. A média de público do campeonato é risível: menos de 3 mil pessoas comparecem, em média, por jogo aos estádios do Rio Grande do Sul. Os números são ainda piores se retirarmos a dupla Gre-Nal do cálculo: cerca de 1.200 pessoas por partida nos jogos realizados no interior do Rio Grande do Sul. Os números de média de público estão disponíveis aqui.

valevqazio

Estádio do Vale com baixíssimo público para Cruzeiro-RS x Grêmio

É evidente que com públicos assim fica quase impossível qualificar o futebol no Estado. Não existe apenas uma razão para o insucesso de público: ingressos altos, nível técnico baixo e acomodações precárias ao torcedor são alguns dos motivos. Mas, acima de todos, um argumento se destaca para explicar o fracasso dos velhos estaduais: o torneio e seus jogos são desinteressantes na mais parte das vezes. Os clubes do interior sequer consegue encher seus estádios nas partidas contra a dupla Gre-Nal. Da parte dos dois maiores da capital, não há interesse verdadeiro de Grêmio e Inter e seus torcedores na competição – a maior prova disso é a unidade de medida adotada para o jejum de títulos do Grêmio, que desconsidera as conquistas de campeonato gaúcho.

Fica bastante claro que os Estaduais, no formato atual, não se sustentam mais. As equipes menores não podem projetar seus anos em um ou outro confronto com um grande clube, e sim disputar torneios entre iguais que os capacite a crescer e subir divisões no futebol nacional. O Estadual não precisa necessariamente acabar, mas seu formato precisa ser reformulado. Não há argumento que sustente o campeonato regional durar quatro meses enquanto o Nacional dura pouco mais de 180 dias, espremidos por conta da longa duração dos estaduais. Promover jogos interessantes aos clubes e ao torcedor é o grande atrativo de público aos estádio.

Anúncios

Discussão

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Anúncios

Apoio

INSTAGRAM DA ARTISTA YASSMINE PITOL

Essa aquarela foi finalizada neste final de semana, mas sempre acho interessante lembrar dos momentos em que a tinta estava secando :) #watercolor #aquarela #gaucho #arts #art 💙💙💙 #sunset #nofilter #TBT 💙 Finalizado #arts #art # #watercolor #workinprogress #watercolor #wip #art #arts

Mais recentes

Estatísticas do blog

  • 2,267,809 visitas
%d blogueiros gostam disto: