Arquivos

Literatura

Esta categoria contém 273 posts

Viagem através da estepe

Quando Tchékhov publicou a novela “A Estepe”, sua então incipiente obra consistia apenas em alguns contos curtos publicados em revistas literárias, elaborados nos intervalos do exercício de sua profissão, a medicina. Era, portanto, a sua primeira narrativa mais longa. E ele não a poupou daquela mirada irônica tão característica sua, que fizeram-lhe a fama como … Continuar lendo

95 anos de Mario Benedetti

Hoje, se vivo fosse, Mario Benedetti completaria 95 anos. Ele nos deixou em 2009. Seu nome completo – Mario Orlando Hardy Hamlet Brenno Benedetti Farrugia – inclui três referências literárias: um autor (Hardy) e duas personagens (Orlando e Hamlet). Seu destino não poderia, portanto, ser outro que não o literário. E foi homem de letras completo: contista, … Continuar lendo

“Pensei em em adotar uma criança para entender os jovens”

Conhecer as pessoas é fundamental para qualquer escritor. Mas Jonathan Franzen, o premiado romancista americano autor de “Liberdade” e “As Correções”, levou essa ideia a outro nível: considerou seriamente adotar uma criança – um órfão iraquiano – com um objetivo, digamos, pouco usual: observar um ser humano crescer desde os primeiros dias a fim de compreender … Continuar lendo

70 anos de “A revolução dos bichos”, de George Orwell

   

“Breviário da Decomposição”, de Émile Cioran

 “Só tem essas convicções aquele que não aprofundou nada”. Essa frase de Emil Cioran praticamente resume o seu pensamento Pertencente à grande tradição de despertadores de espíritos, da qual fazem parte Nietzsche, Pascal ,Kierkegaard e Unamuno, o filósofo romeno foi, durante todo o século XX, uma espécie de posto avançado da oposição ao predomínio da … Continuar lendo

Cinco séculos de Santa Teresa D’Ávila

No seu ensaio “Defesa do teólogo frente ao místico”, o filósofo espanhol José Ortega y Gasset diferenciava os dois da seguinte maneira: enquanto a função do teólogo era falar sobre Deus, a do místico era calar-se sobre o mesmo assunto. Vem daí a dificuldade em compreender muitos dos escritos dos grandes mestres da mística: extasiados … Continuar lendo

Juan Carlos Onetti

No dia 30 de maio de 1994 – há vinte e um anos, portanto -, perdíamos uma das mais talentosas figuras da literatura latinoamericana do século XX:  Juan Carlos Onetti. Uma figura talentosa e menos apreciada do que deveria. Autor a ser colocado na mesma prateleira de García Márquez, Vargas Llosa ou Alejo Carpentier, Onetti não triunfou … Continuar lendo

“O Túnel”, de Ernesto Sábato

Quando saíram os primeiros necrológios lembrando os quatro anos do falecimento de Ernesto Sábato, ocorrido em 30 de abril último, falou-se da lamentável perda do “romancista argentino Ernesto Sábato”. A julgar pelo volume de produção do autor, poderíamos concluir que o argentino de Rojas nascido em 1911 foi, antes de tudo, um ensaísta: em seus … Continuar lendo

Cristóvão Tezza, a Galiza e o idioma galego

“O que é especialmente interessante é a atração galega pela cultura e pela língua brasileiras, com as quais a Galiza parece se identificar mais profundamente do que com a própria Espanha, de que é parte política. As razões deste deslocamento deliberado da consciência galega estão além dos limites da crônica; fico na questão linguística, que … Continuar lendo

Eduardo Galeano e sua relação com “As veias abertas da América Latina”

A partir de 3:10 “Eu suponho que me passa com “As veias”  o mesmo que se passou entre Quino e “Mafalda” (…) É uma relação muito complexa e contraditória.  Por um lado é um livro do qual me orgulho, do qual não me arrependo uma virgula, que influiu, e influi bem, para muita gente, não … Continuar lendo

Dia do livro

Hoje, 23 de abril, comemora-se o Dia do Livro. A escolha da data não foi aleatória. No dia 23 de abril  de 1616 faleceram Cervantes, Shakespeare e o peruano Garcilaso de la Vega. Também em  23 de abril nasceram Maurice Druon, o  co-autor de   “Le chant des partisans”, o hino da Resistência Francesa na 2ª Guerra Mundial( … Continuar lendo

De Siegfried a São Jorge

“São Jorge matando o Dragão”, relevo em mármore de Donatello, Museu del Bargello, Florença-Itália O guerreiro Siegfried é um dos heróis mais importantes da mitologia nórdica. Personagem principal da Canção dos Nibelungos, tradicional história germânica que baseou a ópera de Wagner, aparece em várias outras narrativas do Norte da Europa, como a saga Volsunga dos islandeses. Seu inimigo … Continuar lendo

Uma página de Bernanos

“Ó vós, que nunca conhecestes do mundo senão cores e sons sem substância, corações sensíveis, líricos lábios onde as acres verdades somem-se como bombons – pequenos corações, pequenas bocas – isto não é para vós. Vossas diabruras dão na medida de vossos nervos frágeis, de vossos preciosos crânios, e o demônios de vosso ritual não … Continuar lendo

Borges sobre literatura, política e meras opiniões

“Digamos que o comunismo serviu para fazer dele [Pablo Neruda] um excelente poeta, do mesmo modo que a democracia serviu a Whitman, o imperialismo a Kipling, etc. Cada poeta requer a sua inspiração. E a inspiração é distinta em cada caso. Eu, por exemplo, admiro a Whitman, me encanta, mas não acredito na democracia. Finalmente, as … Continuar lendo

A última entrevista de Günter Grass

Concedida há um mês ao jornal El País e publicada ontem, por ocasião de seu falecimento. PREGUNTA.Como ser humano, ¿qué le da la escritura diaria de poesía? RESPUESTA. Mi primer libro salió en los años cincuenta y fue un libro de poesía con dibujos. Solo más tarde empecé a escribir la novela El tambor de … Continuar lendo

Eduardo Galeano: sem passaporte pelos caminhos do pampa

Acabo de receber a notícia: Eduardo Galeano faleceu nesta manhã, em Montevidéu, aos 74 anos. Autor de “Memórias do Fogo”, “Futebol ao sol e à sombra” e o conhecidíssimo “Veias abertas da América Latina”, Galeano foi um escritor muito lido em nosso continente. E, no meu entender, também muito mal entendido. Suas opções políticas às … Continuar lendo

Breve diálogo entre Tolkien e um americano

“Quando ouvi o ianque murmurar a respeito do “Feudalismo” e seus resultados nas distinções de classes e no comportamento social ingleses, eu abri a boca. O pobre tolo, é claro, não possuía de modo algum as mais mínimas noções sobre “Feudalismo” ou história – sendo ele um engenheiro químico. Porém, não se consegue tirar o … Continuar lendo

Cartas de J.R.R Tolkien

Toda edição de obras completas de um escritor famoso traz um volume dedicado à sua correspondência. É natural. Tantas são as interpretações, boas e más, a que um clássico está sujeito – é clássico justamente por isso, porque permite interpretações – que, no meio delas, é importante ouvir a voz do autor para coibir certos … Continuar lendo

Ler Tintim hoje

A fama de Tintim entre os anos 40 e 60 – isto é, no auge de sua popularidade – , fez com que o presidente Charles de Gaulle fosse obrigado a admitir que, no estrangeiro, ele era o único francófono capaz de rivalizar com ele. Talvez fosse um excesso do presidente francês: Tintim era muito … Continuar lendo

Herberto Helder (1930-2015)

  Ontem faleceu Herberto Helder, um dos maiores poetas portugueses do século XX. Deixamos, em homenagem, um de seus  poemas, retirado do livro A faca que corta o fogo: “li algures que os gregos antigos não escreviam necrológios, quando alguém morria perguntavam apenas: tinha paixão? quando alguém morre também eu quero saber da qualidade da … Continuar lendo

Entre o sertão e a biblioteca

Talvez nenhum autor brasileiro tenha trabalhado tanto para escrever uma obra atemporal como Guimarães Rosa. Não que outros grandes nomes da nossa literatura trabalhassem a fundo perdido, sem quererem que sua obra se perpetuasse. Ao contrário: pretensão nunca faltou entre eles. A diferença entre eles e Guimarães Rosa é a intenção. É como se escrevessem … Continuar lendo

Almoços com C.S. Lewis

Quem abre Conversando com C.S. Lewis (editora Pórtico, tradução de Sandra Martha Dolinsky) pensando que irá encontrar, como o título sugere, uma longa entrevista com o autor de Crônicas de Nárnia sairá decepcionado: nas 223 páginas que compõem o volume a voz de Lewis aparece poucas vezes e sempre entre aspas em trechos cuidadosamente escolhidos pelo autor, Alistar McGrath, professor de … Continuar lendo

70 anos sem Mário de Andrade

“(…) atualmente as minhas preocupações são as seguintes: escrever dísticos estrambóticos e divertidos prum baile futurista que vai haver na alta roda daqui (a que não pertenço, aliás). Escolher vestidos extravagantes mas bonitos pra mulher dum amigo que vai ao tal baile. E escrever uma conferência sem valor mas que divirta pra uma festa que … Continuar lendo

50 anos sem T.S. Eliot

. Há 50 anos T.S. Eliot nos deixava. A exatos dois dias da comemoração de Reis Magos. Assim, para lembrarmos desta data, selecionamos o poema  “A Jornada dos Magos” de 1927. Eliot escreveu-o para uma série de cartões ilustrados da editora Faber and Gwyer (atual Faber and Faber) intitulada “Poemas de Ariel”, pouco depois de ter se … Continuar lendo

150 anos de Miguel de Unamuno

Em artigo publicado no jornal argentino La Nación em 1922, o italiano Giovani Papini colocava o escritor espanhol Miguel de Unamuno em companhia ilustre. Para ele, o autor de “Vida de Dom Quixote e Sancho” era para seu país o mesmo que Fichte, na Alemanha, e Carlyle, na Grã-Bretanha: um verdadeiro “apóstolo espiritual” de sua pátria. Papini era um admirador … Continuar lendo

Miguel de Unamuno (1864-2014)

  “A consciência da morte e a ânsia de morrer, a fome de imortalidade pessoal, o propósito com que tendemos a persistir indefinidamente em nosso ser próprio e que é nossa própria essência, isto é, a base efetiva de todo o conhecer e o íntimo ponto de partida pessoal de toda filosofia humana”

Entrevista de Otto Maria Carpeaux em 1976

Retirada deste site.  Entrevista conduzida por Sebastião Uchoa Leite (SUL) e Luiz Costa Lima (LCL), publicada no revista “José” (RJ), nº 1, junho de 1976, de onde foi extraída.                                                      * … Continuar lendo

Entrevista de Otto Maria Carpeaux de 1949

Retirada deste site.   Otto Maria Carpeaux  Entrevista conduzida por Homero Senna e publicada na Revista do Globo, nº 483, de 28/05/1949 e republicada em seu livro Republica das letras. 3ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1996. Apresentação: O aparecimento, há alguns anos, de Otto Maria Carpeaux no jornalismo carioca despertou viva curiosidade. Apresentado em grande … Continuar lendo

60 anos de “A Sociedade do Anel”

Capa da primeira edição de “A Sociedade do Anel” Em crítica publicada no New York Times em 31 de outubro de 1954, Auden saúda a chegada de A Sociedade do Anel como um verdadeiro presente de Natal: “(…)  if one is to take a tale of this kind seriously, one must feel that, however superficially unlike … Continuar lendo

O tempo de Arturo Pérez-Reverte

As notícias que chegam da Espanha nos dizem que o país se encontra em profunda decadência econômica e social e que os espanhóis estão, como nos piores momentos de sua história, deixando a pátria em busca de emprego e meios de vida em outras terras. Quanto aos que ficam, dizem, estão cabisbaixos, tristes e sem … Continuar lendo

Seamus Heaney

No dia 30 de agosto faleceu o poeta irlandês Seamus Heaney. Nossa tendência seria a de sugerir ao leitor que dedicasse algumas horas de atenção a sua obra, merecidamente agraciada com o prêmio Nobel de Literatura em 1995. É o que os leitores do mundo todo, em especial os do universo anglófono, estão fazendo neste … Continuar lendo

A Joana D’Arc de Bernanos

“Joana, relapsa e santa” dá prosseguimento à iniciativa da É Realizações em publicar a obra de Georges Bernanos no Brasil. Mais conhecido pelos seus romances, como “Sob o Sol de Satã” e “Diário de um Pároco de Aldeia”, o escritor francês aparece aqui como o polemista que fustigava com igual fervor aos comunistas e aos … Continuar lendo

Seamus Heaney (13/4/1939 – 30/8/2013)

Morreu hoje o irlandês Seamus Heaney, um dos maiores poetas dos últimos cinquenta anos e um de nossos favoritos entre os contemporâneos. Na foto acima, com a roupa de seu pai, na plantação onde trabalhou até a idade adulta. Os escribas Nunca me empolguei com eles. Se eram excelentes, eram rabugentos e espins como o … Continuar lendo

Como ler literatura, segundo Terry Eagleton

De santos e sábios

Os dois tipos básicos de leitor que acompanha os lançamentos literários – o acadêmico especializado e o competente aficcionado que Borges qualificou certa vez, falando de si mesmo, de “hedonista” – podem divergir em pontos fundamentais de sua atitude perante o texto, mas provavelmente concordarão sobre a relevância e a qualidade de uma obra como … Continuar lendo

O verdadeiro Ratzinger

Lançado em 1968, Introdução ao cristianismo é um dos títulos mais lidos e influentes da teologia da segunda metade do século XX. Não depende, portanto, de uma circunstância favorável – um “gancho” – para ser lembrado e indicado por este blog. No entanto, devemos admitir que esta indicação é, sim, animada pelo momento – e o … Continuar lendo

Junger, guerreiro e artista

  Ex-militar condecorado pela sua participação na 1ª. Guerra Mundial e escritor premiadíssimo, o alemão Ernst Junger (1896-1999) teve uma obra e uma existência marcadas pelo oscilar entre a atitude contemplativa de esteta e artista e o engajamento destemido de guerreiro. Demonstram-no suas duas maiores obras, “Tempestades de Aço”, relato de suas experiências na Primeira … Continuar lendo

Uma página de Fernando Sánchez Dragó

Um trecho do jornalista, escritor e ensaísta espanhol Fernando Sánchez Dragó, gentilmente enviado (e anotado) pelo nosso caro amigo e leitor Victor Garcez. Ainda escreveremos sobre Dragó neste blogue.

200 anos de “Orgulho e Preconceito”, de Jane Austen

  http://artsbeat.blogs.nytimes.com/2013/01/28/austen-fans-to-celebrate-200-years-of-pride-and-prejudice/

A vida intelectual

Publicado pela primeira vez em 1921, “A Vida Intelectual”, de A. D. Sertillanges é uma das mais conhecidas obras de introdução aos estudos superiores já escritas. Sucesso nos EUA e na Europa, o livro (no original francês) teve boa circulação nos meios católicos brasileiros décadas atrás e ainda pode ser encontrado em antigas bibliotecas. Felizmente, … Continuar lendo

“O Hobbit” em quadrinhos

Adaptações de obras para outras mídias têm o condão de, salvo em alguns poucos casos, desagradar aos fãs. O fenômeno é geral, e um exemplo particular temos em “O Hobbit”, de J.R.R Tolkien, transposto recentemente para o cinema, que provocou desagrado em grande parte dos aficcionados pela obra do escritor inglês. Os motivos elencados são … Continuar lendo

Nova tradução de “Dom Quixote”

“Dom Quixote” é um dos livros mais traduzidos e adaptados do mundo. A primeira edição em português data de 1794: dentre as recentes, destaca-se a de Carlos Nougué e José Luiz Sanchez, que logrou reproduzir, muito competentemente, o sabor da prosa original.  Este é, aliás, o desafio a ser enfrentado por todo tradutor do Quixote … Continuar lendo

1922

  Uma das interpretações da profecia maia que marcou o corrente e quase findo ano era a de que o mundo não terminaria em 2012, mas sim passaria por uma radical transformação em todos os níveis e abriria espaço para uma nova era. Se esta interpretação está correta – e deve estar, tendo em vista … Continuar lendo

Quo vadis?

“Quo vadis, Domine”, de Annibale Carraci (1602) O aproximar das festas de fim de ano nos dá a chance de, findos os compromissos habituais, dedicarmo-nos àquelas leituras mais longas que planejamos durante o ano. Leituras ou releituras: segundo Borges, reler é mais importante do que ler, e o momento também é propício para tomarmos aquele … Continuar lendo

Breve diálogo entre Tolkien e um americano

“Quando ouvi o ianque murmurar a respeito do “Feudalismo” e seus resultados nas distinções de classes e no comportamento social ingleses, eu abri a boca. O pobre tolo, é claro, não possuía de modo algum as mais mínimas noções sobre “Feudalismo” ou história – sendo ele um engenheiro químico. Porém, não se consegue tirar o … Continuar lendo

Emile Zola, por Getúlio Vargas

Em 1906, a revista estudantil Panthum, da faculdade de Direito de Porto Alegre, recebeu um artigo assinado por um jovem estudante sobre um dos escritores mais populares na província: Emile Zola. No Brasil das primeiras décadas do século XX, o escritor morto em 1902 ainda era famoso e influente nos nossos círculos literários, naturalmente afrancesados … Continuar lendo

Tolkien e a Ressurreição

(….) Cunhei a palavra eucatástrofe : [significa] a repentina mudança feliz em uma história que o atinge com uma alegria que os leva às lágrimas (….) A Ressurreição foi a maior eucatástrofe possível no maior Conto de Fadas – e produz aquela emoção essencial: a alegria cristã que produz lágrimas por ela ser qualitativamente tão parecida … Continuar lendo

C.E. Brock

C.E.Brock é um dos dos maiores ilustradores das obras de Jane Austen. Reproduzimos abaixo algumas de suas ilustrações, incluindo capas de edições antigas das principais obras da autora. Sugestão da leitora Ana Ramgrab.  

Os burocratas e a literatura

* *Desenho por Madame Y O farmacêutico mineiro Carlos Drummond de Andrade entrou para o serviço público em 1934. Estava cansado da carreira que escolhera na juventude (por imposição paterna) e sobrevivia de bicos como professor de História e redator de jornais, que também não lhe agradavam e roubavam-lhe tempo precioso de seus prazeres pessoais. … Continuar lendo

90 anos de Ulysses, de James Joyce

Nos 90 anos do clássico de James Joyce, apresentamos ao leitor de nosso blog uma adaptação da obra para o cinema.

Estatísticas do blog

  • 4.687.692 visitas