Arquivos

Livros

Esta categoria contém 94 posts

Fintan O’Toole sobre orgulho nacional e vergonha nacional

  O jornalista, ensaísta e dramaturgo irlandês Fintan O’Toole é uma das figuras mais influentes do debate público em seu país. Ex-diretor do “Irish Times”, escreve com frequência na imprensa irlandesa, em vários jornais ingleses e no “New York Review of Books”. Em seu país, seus detratores frequentemente o acusam de ser um um west … Continuar lendo

O Mateador – poema de Arabi Rodrigues

O quadro “Mateando”,  da artista Yassmine Uequed Pitol, inspirou uma belíssima pajada do poeta  gaúcho Arabi Rodrigues. Vale a pena lê-la:    Um mate, feitio caseiro tem sabor de pampa largo e a consciência do encargo de cuidar do pago inteiro. -Quem ceva, sorve o primeiro à frente dos convidados. O ritual dos desgarrados, possui … Continuar lendo

Carlos Ruiz Zafón (1964-2020)

“Cada livro, cada volume que você vê, tem alma. A alma de quem o escreveu e a alma dos que o leram, que viveram e sonharam com ele.” – Carlos Ruiz Zafón A literatura espanhola perdeu hoje o escritor catalão Carlos Ruiz Zafón. Nascido em Barcelona, em 1964, Zafón foi um dos maiores best-sellers das … Continuar lendo

Vargas Llosa entrevista Borges

Original publicado no jornal El País.    Se precisasse nomear um escritor de língua espanhola de nosso tempo cuja obra irá perdurar, deixará uma marca profunda na literatura, citaria esse poeta, contista e ensaísta argentino que emprestou seu sobrenome a Graciela Borges, Jorge Luis Borges. O punhado de livros que escreveu, livros sempre breves, perfeitos como … Continuar lendo

119 anos de Murilo Mendes

No dia 13 de maio de 1901, em Juiz de Fora (MG), nascia o poeta Murilo Mendes. Filho de um funcionário público, Murilo mudou-se para o Rio de Janeiro ainda na juventude. Ali exerceu diversas atividades: foi auxiliar de contabilidade, telegrafista, funcionário de cartório e inspetor de ensino. Mais tarde viveu em Roma, onde foi … Continuar lendo

Bernanos: “São os democratas que fazem as Democracias”

“O erro clássico do povo inglês foi sempre o de acreditar que as instituições o tornaram livre, ao passo que foi o próprio povo inglês que, outrora, no tempo de sua juventude, marcou as instituições com o sinal da liberdade como se o fizesse com ferro quente. São os democratas que fazem as Democracias, é … Continuar lendo

Rubem Fonseca (1920-2015)

Hoje, dia 15 de abril, o Brasil perdeu Rubem Fonseca, morto aos 94 anos após sofrer um infarto. Autor de obras referenciais como “Feliz Ano Novo” (1976), “Agosto” (1990) e “Bufo e Spallanzani” (1986), foi um dos mais inovadores contistas brasileiros. Ex-delegado de polícia, inseriu suas experiências com o submundo do crime carioca na ficção … Continuar lendo

O Homem diante da peste:  um capítulo de “Os Noivos”, de Alessandro Manzoni

“A peste, que o tribunal sanitário se empenhara em manter à distância, entrara, com as hordas imperiais, para invadir e despovoar não só o território milanês, como parte da Itália” (…) “Em fins de março, a enfermidade já assumira caráter epidêmico, em todos os bairros da cidade; generalizavam-se os males súbitos, com toda a sucessão … Continuar lendo

50 anos sem Manuel Bandeira

   Assim eu quereria meu último poema Que fosse terno dizendo as coisas mais simples e menos intencionais Que fosse ardente como um soluço sem lágrimas Que tivesse a beleza das flores quase sem perfume A pureza da chama em que se consomem os diamantes mais límpidos A paixão dos suicidas que se matam sem … Continuar lendo

Protegido: Resumo de “Hamlet”, de William Shakespeare (Leituras obrigatórias da UFRGS)

Não há nenhum resumo porque esse post está protegido.

Fiódor Dostoiévski, segundo Alexander Soljenítsin

   

“Barriga de aluguel” é tema de livro de jurista brasileira

A expressão “barriga de aluguel” é bem conhecida do público brasileiro: já foi mesmo tema de telenovela nos anos 90, quando ganhou certa notoridade a prática de uma mulher emprestar seu útero para gestar o bebê de outra pessoa. Bem menos famoso, contudo, é o seu nome técnico, “gestação de substituição”. Sua prática toca em complicadas questões … Continuar lendo

Lembrança de Massaud Moisés

Na última quarta-feira, dia 11 de abril,  o mundo literário brasileiro perdeu o professor Massaud Moisés. Filho de imigrantes libaneses, o professor Moisés foi titular da cadeira de Literatura Portuguesa da USP por décadas, sendo responsável por vários estudos pioneiros sobre autores lusitanos no Brasil. Seu nome foi especialmente conhecido dos acadêmicos de Letras, que … Continuar lendo

As ilustrações de Salvador Dalí para “Dom Quixote”

A editora Modern Library, de Nova York, publicou em 1946 uma tradução de “Dom Quixote de la Mancha”, de Miguel de Cervantes, para o inglês. Seria, em tese, uma notícia pouco relevante: há traduções do clássico espanhol para o inglês desde o começo do século XVII, quando Cervantes ainda vivia. A diferença desta edição está … Continuar lendo

129 anos de John Reed

Hoje, o jornalista norte-americano  John Reed completaria 129 anos. Em 1999, a prestigiada Faculdade de Jornalismo da Universidade de Nova York elaborou uma lista das 100 melhores livros de jornalismo de todos os tempos. Na sétima posição, à frente de Truman Capote, Hannah Arendt, Tom Wolfe, H.L. Mencken e Norman Mailer, estava John Reed e seu Dez … Continuar lendo

O Quixote de Will Eisner

  Sobre “Dom Quixote de La Mancha”, de Miguel de Cervantes, já se debruçaram cineastas, pintores, desenhistas, músicos e muito mais. No campo dos quadrinhos, coube a Will Eisner, autor do clássico personagem “The Spirit”, elaborar a versão em arte sequencial – para muitos, a versão definitiva em arte sequencial – da história do Cavaleiro … Continuar lendo

Dois anos sem João Ubaldo Ribeiro

Há dois anos a literatura brasileira perdia um dos seus mais originais e inventivos romancistas: o baiano João Ubaldo Ribeiro. De sua extensa obra, talvez os livros mais conhecidos e admirados sejam “Sargento Getúlio” e “Viva o Povo Brasileiro”, que merecem leitura e releitura constantes. Foi agraciado com o Prêmio Camões em 2008 e com … Continuar lendo

“Monsieur Pain”, de Roberto Bolaño

“Monsieur Pain” é um dos primeiros romances do escritor chileno Roberto Bolaño (1953-2003). Escrito no começo dos anos 1980, intitulava-se inicialmente “A trilha dos elefantes” e acabou por receber o nome do seu protagonista, Pierre Pain, um francês que vive na Paris pré-Segunda Guerra e dedica-se à prática do mesmerismo – nome dado às técnicas … Continuar lendo

Yang Jiang(1911-2016)

Os chineses devem muito a esta senhora da foto. Trata-se de Yang Jiang, responsável pela primeira tradução de “Dom Quixote” para o chinês. Educada em Oxford, casada com o romancista Qian Zhongshu, Jian aprendeu castelhano aos 48 anos (já falava inglês e francês fluentemente). Logo depois, foi enviada para uma temporada em campos de trabalho … Continuar lendo

“Uma pipa de breve sentimento”, de Paulo Ritter

  Conheci Paulo Ritter em fins de 2009. Era uma tarde quente de verão metropolitano e eu havia sido designado para entrevistá-lo em seu gabinete no Conjunto Comercial, onde ele comandava a secretaria de Educação de Canoas. Fui anunciado pela secretária e entrei, munido de algumas perguntas prontas e o indispensável bloco de anotações. O … Continuar lendo

A biblioteca de Fernando Pessoa

A Casa Fernando Fernando disponibiliza, desde o fim do ano passado, a biblioteca pessoal do poeta português para consulta online. Devidamente cadastrados por autor, data, título e estante, os livros foram todos convertidos para o formado PDF e podem ser acessados a qualquer momento. Ali estão, é claro, os clássicos portugueses e os de todas … Continuar lendo

“Das Booty”, de Simon Pringle

A biografia do poeta Bruno Tolentino é, ainda hoje, um mistério para muita gente. Desde o seu retorno ao Brasil, em 1995, muito se especulou sobre as razões que o fizeram abandonar o país, nos anos 60, e quais atividades desempenhou na Europa. Apesar de reclamar da recorrência do tópico, ele próprio não parecia surpreso com … Continuar lendo

Segundo dia do curso “Dom Quixote e suas andanças” (PUCRS)

Ontem, dia 9, teve prosseguimento o curso “Dom Quixote e suas andanças”, realizado na Faculdade de Letras da PUCRS. Foi o segundo dos quatro encontros programados para abordar a obra imortal de Miguel de Cervantes Saavedra. O evento se estenderá por todo o mês de abril, sempre aos sábados, e se encerrará no dia 23, data em que se … Continuar lendo

Lançamentos de Direito Previdenciário

Os temas de Direito Previdenciário vêm despertando cada vez mais o interesse dos estudantes de Direito. É natural: a transformação da pirâmide etária brasileira vem aumentando as demandas na área e, com elas, também as possibilidades profissionais. O problema é que nem sempre as faculdades do país acompanham essa tendência, faltando em muitas delas até … Continuar lendo

“As vantagens do pessimismo”, de Roger Scruton

O sentido normalmente empregue da palavra “otimismo” dificilmente gerará oposição: quem, afinal de contas, pode ser contra encarar as dificuldades da vida de uma maneira positiva, esperando que tudo corra da melhor forma possível? Ninguém, por certo. O problema é que este não é o único tipo de otimista na praça: além destes sujeitos que … Continuar lendo

“A Imaginação Liberal”, de Lionel Trilling

  Para bem falarmos sobre “A Imaginação Liberal”, do crítico literário americano Lionel Trilling, devemos sublinhar o que o autor quis dizer com “liberal” – afinal, como se sabe, a expressão tem um sentido bem particular no vocabulário político dos EUA. Por isso, nada melhor do que dar voz a um liberal autêntico: o ex-presidente … Continuar lendo

Encontrados dois poemas de J.R.R. Tolkien

Os dois poemas foram publicados em 1936 na revista da Our Lady School, em Abington, condado de Oxfordshire. A descoberta foi possível graças ao trabalho conjunto de Wayne Hammond, reputado especialista na obra de Tolkien, e o diretor da escola, Stephen Oliver. Hammond soube da existência dos dois poemas através de uma lista de trabalhos … Continuar lendo

“Seis meses em 1945”, de Michael Dobbs

A imagem de Josef Stalin, Franklin Delano Roosevelt e Winston Churchill reunidos no pátio do Palácio Livadia, na cidade de Yalta, numa tarde fria de fevereiro de 1945, é parte do quadro de honra da inconografia da Segunda Guerra Mundial. E não é sem razão: ali, no popular balneário soviético situado às margens do Mar Negro, os … Continuar lendo

Inimigos da política

Se tomarmos o período entre 1945 e 1989 – isto é, os anos seguintes ao fim da Segunda Guerra – será difícil encontrar outro país que tenha produzido tantos pensadores influentes como a França. Uma mera passagem de olhos pelos nomes que apareceram nesta época o demonstra claramente: Sartre, Camus, Merleau-Ponty, Foucault, Althusser. Foi uma verdadeira … Continuar lendo

Reflexões sobre o ódio

  “Do ódio”, de Gabriel Liiceanu, é uma leitura especialmente importante para este início de 2016. Explico: 2015 foi um ano marcado pelo ódio no Brasil. E não falo aqui da quantidade de pessoas que se odiaram umas às outras no país, o que não se pode medir, e sim de quão discutido foi o … Continuar lendo

150 anos de Rudyard Kipling

No dia 30 de dezembro de 1865, no começo do que se entende por inverno em Bombaim, na Índia, vinha ao mundo Rudyard Kipling. Filho de ingleses emigrados na então colônia, Kipling não partilhou do sofrimento que acomete o inglês quando desembarca nos trópicos. Ao contrário: sofreu quando voltou à Grã-Bretanha, ainda criança, e teve de encarar … Continuar lendo

Estudo de uma tensão

O filósofo romeno Constantin Noica dizia que a filosofia só era possível na cidade, espaço do convívio com as pessoas nas ruas, no mercado, no vai-e-vem da experiência humana. Será difícil discordar deste ponto de vista. O problema é que a cidade, que cria as condições para o filósofo existir, não costuma simpatizar muito com ele. … Continuar lendo

O novo best-seller britânico: Karl Marx

A ascensão do socialista Jeremy Corbyn à liderança do Partido Trabalhista britânico vem provocando um curioso fenômeno nas livrarias do país: uma súbita procura por autores de esquerda. É o que diz esta reportagem.  Entre os livros que vêm despertando o interesse dos leitores estão os óbvios “O Capital” e “O Manifesto Comunista”, de Karl Marx. … Continuar lendo

“Meus encontros com Kafka”, por Otto Maria Carpeaux

“Kauka.” “Como é o nome?” “KAUKA!” “Muito prazer.” Esse diálogo, que certamente não é dos mais espirituosos, foi meu primeiro encontro com Franz Kafka. Ao ser apresentado a ele, não entendi o nome. Entendi Kauka em vez de Kafka. Foi um equívoco. Hoje, o “Kauka” daquele distante ano de 1921 é um dos escritores mais … Continuar lendo

29 de outubro – Dia do livro

No dia de 29 de outubro de 1810 foi inaugurada  da Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro por ordem do rei D. João VI, recém-chegado ao Brasil. Por isso nós, brasileiros, celebramos hoje o Dia Nacional do Livro: para lembrarmos do dia em que os livros chegaram de fato ao Brasil. Além disso, é um … Continuar lendo

“Canadá”, de Richard Ford

Richard Ford é um dos mais celebrados romancistas norte-americanos da atualidade. Nascido no Mississipi, em 1944, um dos estados mais pobres do país, corroído pela violenta história de discriminação racial , Ford não tem – ao contrário de outros filhos da região – maior interesse pelo que se chama de “temática sulista” na literatura: ao … Continuar lendo

Viagem através da estepe

Quando Tchékhov publicou a novela “A Estepe”, sua então incipiente obra consistia apenas em alguns contos curtos publicados em revistas literárias, elaborados nos intervalos do exercício de sua profissão, a medicina. Era, portanto, a sua primeira narrativa mais longa. E ele não a poupou daquela mirada irônica tão característica sua, que fizeram-lhe a fama como … Continuar lendo

IBDP e ArtMed promovem cursos de atualização jurídica

A entrada em vigor do novo Código de Processo Civil, prevista para o ano que vem, tem motivado advogados de todo o país a procurarem cursos de atualização. A demanda, como sempre acontece nessas situações, trata de fazer crescer as opções; e algumas destas nem sempre primam pela qualidade. Felizmente, chegou às nossas mãos um … Continuar lendo

“Pensei em em adotar uma criança para entender os jovens”

Conhecer as pessoas é fundamental para qualquer escritor. Mas Jonathan Franzen, o premiado romancista americano autor de “Liberdade” e “As Correções”, levou essa ideia a outro nível: considerou seriamente adotar uma criança – um órfão iraquiano – com um objetivo, digamos, pouco usual: observar um ser humano crescer desde os primeiros dias a fim de compreender … Continuar lendo

Para entender o conservadorismo

O pensamento conservador vem conquistando cada vez mais espaço no mercado editorial brasileiro. Hoje é possível encontrar nas livrarias, em edições novas e muito bem preparadas, autores das mais variadas tendências do pensamento de direita, de Oswald Spengler a Eric Voegelin, de Michael Oakeshott a Alexander Dugin, de Carl Schmitt a Christopher Dawson. Esta notícia deve … Continuar lendo

70 anos de “A revolução dos bichos”, de George Orwell

   

“A política externa norte-americana e seus teóricos”, de Perry Anderson

“A política externa norte-americana e seus teóricos” (Boitempo, 199 páginas, tradução de Georges Kormikiaris) é o mais recente livro do historiador britânico Perry Anderson. Trata-se de uma coleção de artigos publicados na “New Left Review” sobre a história da política externa dos EUA através dos homens que a forjaram – isto é, os pensadores e os … Continuar lendo

Georges Bernanos: “Nós não éramos de direita”

“Os Grandes Cemitérios sob a Lua” talvez seja o mais conhecido livro de combate do romancista francês Georges Bernanos,  autor de “Sob o Sol de Satã” e “Diário de um pároco de aldeia”. Escrito no período em que residiu na Espanha, durante a tristemente famosa Guerra Civil daquele país,  é dirigido aos seus compatriotas como um alerta sobre o estado … Continuar lendo

O cristianismo, segundo Kautsky

Confesso: quando tomei A Origem do Cristianismo, de Karl Kaustky (Editora Civilização Brasileira, 560 páginas) nas mãos pela primeira vez, pensei estar diante de um descendente direto dos mais velhos e requentados clichês marxistas acerca da religião. Esperava, já conformado, alguma palavra de ordem, algum reducionismo, algum discurso batido. Meu preconceito tinha como alvo o autor: tratava-se … Continuar lendo

Nova edição de “Monções”, de Sérgio Buarque de Holanda

“Monções” marca um momento de transição na carreira intelectual de Sérgio Buarque de Holanda. Publicado em 1945 – nove anos após o clássico “Raízes do Brasil”- , ali o jovem ensaísta, jornalista e crítico literário dos anos 20, 30 e começo dos 40 começa a dar lugar ao historiador e acadêmico, autor de obras como “Caminhos e … Continuar lendo

Morte e imortalidade

O problema da morte parece ausente da filosofia contemporânea – ao menos da filosofia que enche as salas de aula das faculdades, as páginas dos manuais nos capítulos de “filosofia contemporânea” e os cadernos de cultura dos jornais mais prestigiados. Não é o único: estão também ausentes temas como Deus, a eternidade e, às vezes, … Continuar lendo

Uma página de Doutrina Social da Igreja

Colaboração do amigo Victor Garcez.

Cinco séculos de Santa Teresa D’Ávila

No seu ensaio “Defesa do teólogo frente ao místico”, o filósofo espanhol José Ortega y Gasset diferenciava os dois da seguinte maneira: enquanto a função do teólogo era falar sobre Deus, a do místico era calar-se sobre o mesmo assunto. Vem daí a dificuldade em compreender muitos dos escritos dos grandes mestres da mística: extasiados … Continuar lendo

Juan Carlos Onetti

No dia 30 de maio de 1994 – há vinte e um anos, portanto -, perdíamos uma das mais talentosas figuras da literatura latinoamericana do século XX:  Juan Carlos Onetti. Uma figura talentosa e menos apreciada do que deveria. Autor a ser colocado na mesma prateleira de García Márquez, Vargas Llosa ou Alejo Carpentier, Onetti não triunfou … Continuar lendo

Cristóvão Tezza, a Galiza e o idioma galego

“O que é especialmente interessante é a atração galega pela cultura e pela língua brasileiras, com as quais a Galiza parece se identificar mais profundamente do que com a própria Espanha, de que é parte política. As razões deste deslocamento deliberado da consciência galega estão além dos limites da crônica; fico na questão linguística, que … Continuar lendo

Estatísticas do blog

  • 4.692.725 visitas